SONHO CIGANO

Quem me dera os pés dos ciganos,
e as asas dos pássaros, para ir em busca 
da vida que eu quisera viver um dia.
Ouviria as lendas e valsas eternas 
ao som de violinos, enquanto na fogueira 
a brasa arderia, entre estrelas brilhando
e um lindo luar nos encantando, eu veria 
o meu reflexo no brilho de teu olhar.
Queria tocar valsas eternas ao piano, 
adormecer ao cair da tarde nas areias da praia 
enquanto o sol desmaiasse no horizonte.
Queria ver as palmeiras dos jardins,
os botões de rosa entreabrindo-se 
na bela manhã orvalhada, entre 
cravos, lírios, açucenas e jasmins.
Queria com alegria viver lendo poesia 
e escrever versos de amor que rimassem 
apenas com cor e flor, enquanto a chuva 
molhasse as ruas e na calçada a enxurrada
levasse para bem longe os meus barcos de papel.
Queria... Ah! como eu queria!
Autora: Verluci Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário