A HISTÓRIA DE SANTA ANA E A COMPARAÇÃO COM NANÃ



A história de vida de Santa Ana é contada por todos os símbolos que compõem a sua representação. Além da túnica branca, o véu marrom e verde que a Santa usa carregam dois significados que se complementam. A cor verde simboliza a vida que renasce, ou seja, o milagre da gravidez. E a cor marrom é símbolo da simplicidade e humildade que Santa Ana teve ao compreender as decisões de Deus.

Já o pergaminho que carrega na mão direita, é símbolo de tudo o que Santa Ana ensinou à Virgem Maria. Na sociedade em que elas viviam, a educação das garotas era completamente de responsabilidade das mães. No pergaminho, é possível observar que estão elencados os dez mandamentos, indicando que a Santa ensinou à Maria tudo o que diz respeito às Leis de Deus, à santidade da vida e às tradições de fé.

No sincretismo religioso, é comum entender que esse conhecimento, dedicação e respeito pela criação divina observados na história de Santa Ana a conectam com Nanã. As duas são mães, avós e carregam as energias do saber e da humanidade. Além disso, as duas são símbolo da força feminina na criação divina.


Nenhum comentário:

Postar um comentário