OS ODÚS – 16 FILHOS DE ORUNMILÁ



Os 16 filhos deste Orixá representavam características da vida, por exemplo: amor e ódio, vida e morte. Ele como um pai detalhista, sempre exigiu respeito de suas crias. Certo dia, ao solicitar a presença de todos, notou que 1 dos seus 16 filhos não quis ajoelhar diante dele. Então, o confrontou perguntando qual o motivo daquela insolência, seu filho disse: “Sou um rei e possuo as mesmas riquezas que você, como um rei poderia se curvar a outro?”.

O desapontamento e tristeza dominou Orunmilá naquele instante, o que o fez se retirar para o Orum (céu) e abandonar a sua missão de aperfeiçoar tudo que era criado. Nessa época muitas coisas ruins passaram a acontecer em todos os locais: seca, fome e a mais triste e dolorosa miséria. Os sacerdotes que o auxiliavam foram ao seu encontro implorar por misericórdia, mas o Orixá não conseguia sair das profundezas de sua melancolia, então os 15 filhos decidiram pedir ao pai que pelo bem de todos, voltasse à sua missão, mas o coração de Orunmilá permanecia muito ferido. Por fim, o seu filho ingrato foi aos prantos de encontro ao pai e de joelhos pediu o mais sincero perdão.

Ao ver seu filho arrependido ele o perdoou, mas não quis retornar ao seu posto de guardar o bem da Terra. Então, decidiu apaziguar as desgraças que aconteciam e distribuiu caroços de dendezeiros para que fossem jogados quando alguém quisesse se comunicar com ele (Jogo de Búzios), e incumbiu aos seus 16 filhos o cargo de serem Odús, ou seja, eles se tornaram os caminhos pelos quais os Orixás seguirão para resolverem todas as questões da vida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário